Consumo de suplementos e vitaminas cresce durante a pandemia

Com a pandemia provocada pela Covid-19, a busca por suplementos e vitaminas aumentou. De acordo com pesquisa da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais e Congêneres (Abiad), o coronavírus contribuiu para o aumento do consumo de suplementos e vitaminas. O estudo indica que 48% dos entrevistados passaram a consumi-los. A pesquisa ouviu participantes de Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Fortaleza, Belém e Brasília. Os produtos mais procurados são os que contêm vitaminas C e D, além de zinco.

Com uma formulação específica desenvolvida nos Estados Unidos por pesquisadores brasileiros, entre eles o químico Hélio Henrique, o Acelerator contém, em sua composição, biotina, diversas vitaminas, tais como A,C,D e complexo B, além de apresentar alguns minerais como o zinco, selênio e manganês, cafeína como fonte estimulante, taurina, que é um aminoácido, e cranberry que auxília nas funções renais.

O Acelerator pode ser encontrado na versão com ou sem cafeína, e o consumidor, por orientação médica, poderá optar pela versão que melhor lhe atenderá.

“Nossa formulação é a mais natural possível, focada em auxiliar o melhor funcionamento do organismo acelerando o metabolismo, eliminando a retenção de líquidos, promovendo a perda de peso saudável. Os resultados são potencializados com a prática de atividades físicas e, também, uma alimentação mais equilibrada”, explicam os gestores Gutemberg Oliveira e David Wendel, responsáveis pela empresa DW Healthy Living, que está no mercado de saúde e bem-estar desde 2017.