SOS DF reforma Parque Ecológico de Águas Claras

Criada em 2003, a área de lazer, que tem 120 hectares, recebe de 1.200 a 3 mil pessoas por dia

O SOS DF, mutirão proposto pelo governador Ibaneis Rocha no início de sua gestão para tirar Brasília do abandono, chegou aos parques do Distrito Federal. Nesta segunda-feira (18), a força-tarefa concentrou esforços no Parque Ecológico de Águas Claras.

Representantes de todos os órgãos envolvidos se reuniram para traçar o planejamento das ações do SOS DF Parques. Foram eles: como Secretaria de Meio Ambiente (Sema), Novacap, Serviço de Limpeza Urbana (SLU), Detran, DER, Caesb, CEB, Instituto Brasília Ambiental (Ibram), Secretaria de Segurança Pública/Subsecretaria do Sistema Penitenciário do Distrito Federal (Sesipe), Secretaria de Justiça do DF/Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso (Funap).

Na ação integrada estão previstos serviços como assentamento de blocos, instalação de bancos, troca de iluminação, podas de árvores, reparos e pinturas em lixeiras e aparelhos de ginástica, capina, além de manutenção nos banheiros e limpeza.

Para Edson Duarte, presidente do Ibram, os parques têm uma grande importância para a população do DF. “São pontos de encontro, lazer e entretenimento. Por isso, a necessidade da revitalização e melhora de suas condições. Nossa intenção é oferecer mais conforto para as crianças, jovens e idosos, com resultados rápidos e com custos baixos”, frisa.

Reunião do SOS DF discute reforma do Parque Ecológico de Águas Claras, na segunda

O parque
O Parque Ecológico de Águas Claras é um dos mais visitados do DF. Em uma área de 120 hectares, sua estrutura conta com parque infantil, quadras poliesportivas, de areia, de futebol society com grama sintética e pistas de cooper e de ciclismo, além de Ponto de Encontro Comunitário (PEC) e circuito inteligente de ginástica.

Criado em 2003, o local recebe de 1.200 a 3 mil pessoas por dia. O policial civil Bernardo Leal é um desses frequentadores. Para ele, as condições do local são boas, mas podem ser melhoradas. “Os banheiros precisam de manutenção e a grama está grande”, disse. O contador Roberto Estevam diz que a revitalização é necessária. “Ficamos um dia sem usar, mas seremos recompensados. Acho importante a iniciativa”, afirmou.

A área de lazer fica fechada durante toda a segunda-feira, mas nesta terça (19) será aberta ao público, mesmo com o restante das ações em andamento.

O primeiro parque a receber a revitalização foi o Saburo Onoyama, em Taguatinga, um dos espaços de lazer mais antigos do DF.